11.2.10

JORNAL PÚBLICO DE HOJE / O QUE É QUE O TÍTULO TEM A VER COM AS CALÇAS?





O Jornal Público de hoje publicou a notícia que pode ser lida aqui, sob o título "Obras do Príncipe Real escaparam a um embargo devido a promessas da CML". Como muitas vezes acontece o título não tem a ver com as calças, o que motivou da minha parte a introdução do comentário que está visível na edição on line do jornal, bem como o envio de pedido de rectificação à Directora daquele jornal, pedido esse que reproduzo infra:


Ex.ma Senhora Directora,


Acaba de ser publicado na edição de hoje do jornal Público (em papel e em formato digital), o artigo da autoria do jornalista António José Cerejo, no caderno Local / Lisboa, sob o título "Obras do Príncipe Real escaparam a um embargo devido a promessas da CML"


Nos termos da Lei de Imprensa, considero que induzindo o título supra referido em erro, quanto ao teor da própria notícia/artigo, se impõe uma rectificação, a qual aliás fiz já constar da página on line do V. Jornal.


Pelo exposto, e sempre sujeito à ponderação que V. Excª e os Ex.mos Colegas que ponderem a verificação dos pressupostos de que depende a utilização deste direito de rectificação, requeiro que na mesma secção do jornal e com a mesma relevância gráfica dada àquele artigo, seja publicado este pedido e aquela referida rectificação:


"Ao contrário do que o título do artigo sugere, não existiram entre mim e o Sr. Vereador José Sá Fernandes quaisquer negociações com vista à não interposição do embargo da obra de requalificação do Jardim do Príncipe Real, o que aliás resulta do texto. Do mesmo modo, o que considerei serem garantias suficientes para o não recurso a essa última e grave medida para a defesa do jardim, foram as palavras proferidas (em resposta a interpelação que efectuei na referida Assembleia da Junta de Freguesia) pelo mesmo Sr. Vereador que textualmente afirmou o compromisso de fazer intervir "diariamente, se necessário for", a entidade que considerei ter sido preterida em todos este processo: a Autoridade Florestal Nacional. Não se tratou assim nem de uma negociação, nem o que o mesmo Vereador afirmou naquela Assembleia pode ser interpretado como "promessa com vista a evitar o embargo", cuja intenção de interposição e condições para a sua não interposição eu havia comunicado antes por diversos meios, nomeadamente por carta de 9 (e não 2) de Dezembro de 2009."


Sem outro assunto e antecipadamente grato por toda a atenção dispensada ao presente, envio os meus melhores cumprimentos,


Atentamente,

1 comentário:

paula disse...

parece que mudaram as «calças»...
parabéns!